Cinema e Séries

“Ted Bundy: A Irresistível Face do Mal” e a impressionante atuação de Zac Efron

Ted Bundy não era só um rosto bonito.

Netflix

Recém chegado no catálogo da Netflix, este filme é sobre como um psicopata usou seu rosto bonito, carisma, inteligência para matar brutalmente mais de 30 mulheres. Ted Bundy, interpretado aqui pelo Zac Efron, foi um dos mais temíveis assassinos em série dos EUA durante a década de 70.

Foto: Divulgação

Zac está perfeito neste filme, entregando o melhor desempenho de sua carreira até agora. Ele imbui Bundy com um charme inegável e simpatia, mas nunca inclinando a balança para glorificar o homem. O que é brilhante sobre o desempenho de Efron é como ele sutilmente deixa o público entrar na fachada que Bundy está exibindo. Você pode ver que ele é encantador, claro, mas você também pode dizer que se esconder bem debaixo daquele sorriso é uma riqueza de ansiedade e raiva. As tentativas bizarras de Bundy de manter Elizabeth ao seu lado e depois de vencer o julgamento enquanto se defendia, são tentativas desesperadas de se livrar de peculiaridades livres e não cativantes, como alguns podem temer.

Netflix

Sua ex-noiva Elizabeth (Lily Collins), estava em um relacionamento de seis anos com Bundy durante o tempo de seus assassinatos no início dos anos 1970. Mesmo quando Bundy foi preso, Elizabeth teve dificuldade em conciliar esses supostos crimes com o homem que aparentemente demonstrava genuíno amor e compaixão por ela e sua filha. O filme inicialmente não oferece informações detalhadas sobre os crimes de Bundy, ou qualquer outra coisa além do que Elizabeth sabia na época, que fornece um caminho para entender como ela pode ser tão comprometida com sua culpa por tanto tempo. Não vemos Bundy matando, não ouvimos os detalhes de seus crimes. Nós só vemos o homem que Elizabeth viu, e sua subsequente declaração de inocência diante da crueldade aparentemente impossível.

Netflix

Ele era um estudante de direito, uma pessoa inteligente que conseguia convencer a todos de sua inocência. Ele aproveitava da falha da justiça daquela época para impor seus direitos e questionava seus próprios advogados. Além de ser preso duas vezes e conseguiu fugir o mesmo número de vezes.

Em um de seus julgamentos, havia mulheres encantadas por ele, que mesmo sabendo pelo o quê ele estava sendo julgado, elas o admiravam. Fenômeno este que acontece pela “Hibristofilia” – atração por criminosos.

Netflix

O “poder” de persuasão que ele tinha era tanto que o filme te mostra apenas aquilo que o Ted gostaria que você visse/ouvisse para acreditar em sua inocência, sempre mostrando confiança e frieza através de um sorriso. Tanto que não é mostrado como ele executou cada um de seus crimes detalhadamente.

Após o veredito do júri, ele foi condenado à pena de morte por execução na cadeira elétrica, em 24 de Janeiro de 1989. Na semana de sua execução, ele confessou os assassinatos.

Foto: Divulgação

Caso você queira saber mais sobre ele, a Netflix fe um documentário sobre ele de 4 episódios: “Conversando com um Serial Killer: Ted Bundy.”

Zac Efron é o assassino em série Ted Bundy e aborda a história de Bundy do ponto de vista de sua namorada de longa data, Elizabeth Kloepfer, interpretada por Lily Collins, durante os anos em que ele escondeu seus crimes dela. John Malkovich estrela como o juiz Edward Cowart, que presidiu o julgamento do serial killer em 1979, e Jim Parsons interpreta Larry Simpson, o promotor principal no julgamento de Bundy e o homem que eventualmente colocou o grotesco atrás das grades. Além disso, Kaya Scodelario fez o papel de misteriosa ex-mulher de Bundy, Carol Anne Boone. O filme, escrito por Michael Werwie e dirigido por Joe Berlinger, também é estrelado por Haley Joel Osment.

“Ted Bundy: A Irresistível Face do Mal” (Extremely Wicked, Shockingly Evil and Vile, 2019) é uma adaptação do livro “The Phantom Prince: My Life with Ted Bundy”, escrito por Elizabeth Kendall (Lily Collins), que conta os momentos reais que passou com o criminoso Ted Bundy (Zac Efron) e o que se seguiu após ele ser indiciado por uma dezena de acusações em série.

Foto: Submarino/Divulgação