Cinema e Séries

A loucura e a maestria cinematográfica no preto e branco de “O Farol”

Dafoe e Pattinson dão um show de atuação.

A24

O que torna um filme baseado no século XX totalmente em preto e branco especial? A loucura.

Dois caras numa casa, e revezam ao fazer as tarefas diárias cuidando de um farol, chega um certo momento que isso fica fadado ao cansaço devido a tamanha rotina.

O novato Ephraim Winslow (Robert Pattinson) é impedido de saber o que tem naquele farol pelo seu patrão Thomas Wake (Willem Dafoe). Nisso a loucura começa a tomar conta entre os principais personagens, pelas alucinações e a vontade de sair daquela ilha isolada de qualquer forma. Que por sinal foi gravado em locais reais, ao invés do habitual estúdio fechado e finalizando com o uso de efeitos visuais.

A24

As grandes atuações de Pattinson e Dafoe é o ponto alto disso. Com grandes monólogos disparados um para o outro e isso fica muito interessante, longe de ficar chato de assistir. Todo o clima tenso traz uma aflição por conta do filme ser rodado em preto e branco e filmado com uma câmera antiga, tanto que o formato de tela quadrado pra referenciar a forma como era o cinema antigo.

A24
A24

Com um roteiro e direção brilhante de Robert Eggers, O Farol nos traz um ótimo filme de gente doida, Pattinson e Dafoe conduzem com maestria e engrandecem essaa obra cinematográfica. O longa foi lembrado pela Academia ao competir na categoria de Melhor Fotografia.

A24

Comentários